Publicado decreto de distanciamento controlado no Rio Grande do Sul.

Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini 

decreto que determina o distanciamento controlado em função da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul foi publicado na noite desse domingo no Diário Oficial do Estado. O documento reitera a declaração de estado de calamidade pública em solo gaúcho e versa sobre novas providências para impedir o contágio da Covid-19.

O distanciamento controlado prevê quatro níveis de restrições, representados por bandeiras nas cores amarela, laranja, vermelha e preta, que variam conforme a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde nas 20 regiões pré-determinadas. Cada uma delas será avaliada por meio de 11 indicadores consolidados em dois grandes grupos com pesos iguais na definição final: propagação (velocidade do avanço, estágio da evolução e incidência de novos casos sobre a população); capacidade de atendimento (capacidade de atendimento e mudança da capacidade de atendimento).

O monitoramento das diferentes regiões pode ser acessado em um site criado pelo governo do Estado. O documento ainda traz regras para a abertura de estabelecimentos para atendimento ao público, além de determinar o uso de Equipamentos de proteção individual (EPIs) por trabalhadores e da higienização do local. Além disso, há a recomendação de que criem planos de contingência para a operação de atividades. Teto de operação, modo de operação e horário de funcionamento são os três critérios que servirão de pilares para a abertura de comércios e locais que normalmente fazem o atendimento ao público. 

Conforme os protocolos do novo decreto do governo do Estado, os empregadores deverão fornecer e orientar a correta utilização dos EPIs. Os materiais não poderão ser reutilizados quando não forem devidamente limpos. Se a atividade do estabelecimento não tiver protocolo específico de EPIS, o empregador deverá fornecer máscaras descartáveis em quantidade suficiente para cada trabalhador. 

Máscaras

Ao mencionar o uso de máscaras, governo do Estado cita que o material usado deve ser TNT ou de algodão. Cada estabelecimento deverá exigir de clientes e usuários o uso de máscaras, além da manutenção da etiqueta respiratória: cobrir a boca com o antebraço ou usar lenço descartável ao tossir ou espirrar.

No item que cita o distanciamento mínimo obrigatório, o governo diferencia a distância em dois metros sem EPI e um metro com EPI. Conforme o decreto, os locais devem priorizar o trabalho remoto ou teletrabalho aos funcionários que possam cumprir as suas funções dessa maneira. Aos trabalhadores que não podem desempenhar tarefas remotamente, é determinada a adoção de regimes de escala, revezamento, além da alteração de jornadas e até a flexibilização de entrada e saída.

Bandeiras devem ser observadas como alertas

Um dos principais pontos do novo modelo social controlado são as bandeiras, que indicam o nível em que a região está e quão restritivas devem ser as medidas adotadas naquele local.

Amarela – risco médio/baixo

Laranja – risco médio

Vermelha –  risco alto

Preta – risco altíssimo

De acordo com o governador Eduardo Leite, as bandeiras devem ser observadas também como alertas para a população e para o Poder Público. “É uma forma da população observar, verificar e reiterar seu compromisso com as medidas de segurança. Se estamos em uma bandeira amarela e passamos para a laranja, é preciso intensificar as medidas e respeitar”, explicou no último sábado, quando concedeu uma entrevista coletiva para explicar o decreto. 

Os protocolos do modelo de distanciamento podem ser acessados no site do governo do Estado, além da base metodológica usada no distanciamento e dos documentos que explicam a bandeira de cada região

Grupos de risco

Pessoas inseridas no grupo de risco também deverão ter um cuidado especial por parte do empregador. Funcionários poderão solicitar o regime de teletrabalho. Para o atendimento de clientes que fazem parte do grupo de risco, os estabelecimentos deverão criar horários ou setores exclusivos de atendimento, garantindo preferência e, por consequência, o fluxo ágil para que permaneçam o menor tempo possível no local. 

Como prevenir o contágio do novo coronavírus 

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.

• não compartilhar objetos pessoais.

Notícias Relacionadas

DEPUTADO DANIEL TRZECIAK DESTINA EMENDA DE 200 MIL PARA SAÚDE.

redefan

Menina de 11 anos grávida após estupro realiza aborto legal em SC, informa MPF

redefan

Lei que permite renegociação de dívidas do Fies é sancionada

redefan