Professora acusada de manter idosa em trabalho escravo vira alvo da PF!!

Uma professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) acusada de manter uma idosa, de 63 anos, em trabalho análogo à escravidão virou alvo de inquérito na Polícia Federal. A investigação requisitada pelo Ministério Público Federal (MPF) tem como base a cópia de procedimento do Ministério Público do Trabalho (MPT) que processou a docente na Justiça do Trabalho.

O órgão pede que a professora pague R$ 1,3 milhão a título de indenização por danos morais e coletivos, além de pensão e pagamento retroativo de salários. A senhora foi resgatada pela força-tarefa do Governo Federal de combate ao trabalho escravo no bairro da Abolição, zona norte do Rio de Janeiro, no fim de janeiro.

“A empregadora confessou ter recebido a primeira parcela do auxílio emergencial da idosa, de R$ 600, mas confirmamos que outras quatro foram sacadas. Há relatos de vizinhos de que a senhora ainda sofria maus-tratos, então comunicamos ao Ministério Público Federal para a adoção de providências com relação à repercussão penal”, explicou Isabela Maul, procuradora do MPT.

Entre os crimes que a docente pode responder, estão o de manter trabalhador em condição análoga à escravidão, de maus-tratos e de apropriação indébita. Em nota, o MPF informou que “requisitou a instauração de inquérito policial à PF para apurar o caso”.

Notícias Relacionadas

Horta comunitária beneficia famílias cachoeirenses.

redefan

CONVITE AUDIÊNCIA PÚBLICA!

redefan

VOCÊ SABE O QUE É BLEFAROPLASTIA?

redefan