Em sessão tensa, Paixão diz que Kader é “vereador parcial”. – “Quer economia mas não propõe diário eletrônico grátis, por advogar na parte interessada”.

A sessão de desta segunda-feira(29) foi marcada por tensão na câmara de vereadores de Cachoeira do Sul, após votação da extinção do 13º salário aos vereadores. Por 13 votos a 2, o projeto de lei de autoria do vereador Kader Saleh (PL) foi aprovado na sessão ordinária.

O presidente da Câmara, Luis Paixão (PP), disparou que Kader desrespeitou a casa no momento em que teria referido que os vereadores estariam fazendo “artimanhas” para impedir a tramitação do projeto.

Paixão ainda referiu que Kader se coloca como “paladino” (da justiça) e também se mostra como “vereador parcial” quando coloca a extinção do 13º salário como medida de economia, mas não propõe a criação de diário oficial eletrônico para que a Prefeitura passe a economizar com mídia impressa. “Seria uma economia de R$ 500 mil, muito maior que os R$ 90 mil do 13º. Mas ele (Kader) não propõe sob a justificativa de suspeição, por advogar para parte interessada”, acusou.

Em live nas redes sociais, Kader afirmou que não propõe o Diário Eletrônico por envolver razões éticas no âmbito de seu exercício profissional como advogado. Ele confirma que, por advogar para parte de um grupo empresarial interessado no assunto, poderia ser entendido como suspeito para entrar no tema. “Mas não farei nada para impedir que tramite projeto nesse sentido na casa”, declarou.


(Colaborou Portal OCorreio Digital)

Notícias Relacionadas

Começa nesta terça a montagens dos kits de alimentação para alunos da rede municipal

redefan

Fiocruz deve entregar mais cinco milhões de vacinas nesta semana!

redefan

NOVO CABRAIS ABRE PROCESSO SELETIVO!

redefan