Ronaldinho e Assis serão transferidos para prisão domiciliar no Paraguai.

Foto: Norberto Duarte

Em audiência realizada na tarde desta terça-feira, em Assunção, o juiz Gustavo Amarilla, responsável pela caso, acatou o pedido de transferência para prisão domiciliar apresentado pela defesa de Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis. Com a decisão, os Assis Moreira deixarão o Agrupacíon Especialiazada, quartel da Polícia Nacional do Paraguai, onde estão detidos desde o dia 6 de março, e irão para o Hotel Palmara Roga, e seguirão com custódia policial permanente.

O pedido de transferência aceito nesta terça pelo juiz Gustavo Amarilla foi o quarto recurso apresentado pelos advogados de defesa de Ronaldinho e Assis, que também firmaram o pagamento de US $ 1,6 milhões como fiança para ambos.

O Ministério Público paraguaio, responsável pela acusação, não se opôs a transferência dos irmãos Assis Moreira para prisão domiciliar. Segundo o MP, anteriormente, as investigações ainda estavam em fase inicial, o que justificava a prisão preventiva, com a mudança de cenário, era possível revisar a decisão. 

Notícias Relacionadas

BB emprestará R$ 3,7 bi a pequenas empresas afetadas por pandemia

FAN FM

Hoje é o último dia para pedir o auxílio emergencial.

FAN FM

Leite faz pronunciamento e alerta para “15 dias cruciais” no combate à pandemia no RS

FAN FM