Diversificação rende R$ 779 milhões a produtores de tabaco

O Programa Milho, Feijão e Pastagens, conduzido pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco),   representou o incremento de R$ 779 milhões na renda dos produtores. A iniciativa –  que conta com o apoio  de entidades ligadas à agricultura e dos governos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná –  visa fortalecer a safrinha com plantio de grãos e pastagem após a colheita do tabaco.

“Além da alta nos rendimentos, a rotação de culturas reduz a proliferação de pragas, doenças e ervas daninhas na propriedade, garantindo um solo saudável para a próxima safra. No âmbito econômico, tem ainda outras vantagens como a redução dos custos de produção dos grãos, uma vez que ocorre o aproveitamento residual dos fertilizantes e pode, também, haver redução de custo na produção de proteína com o uso do milho no trato animal”, avalia o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke.

Notícias Relacionadas

DEPUTADO DANIEL TRZECIAK DESTINA EMENDA DE 200 MIL PARA SAÚDE.

redefan

Menina de 11 anos grávida após estupro realiza aborto legal em SC, informa MPF

redefan

Lei que permite renegociação de dívidas do Fies é sancionada

redefan